Entrevista com Jaqueline Caimo – Mensagem de esperança diante da pandemia do novo coronavírus

O momento pelo qual o Planeta vive hoje de pandemia do novo coronavírus é de muita gravidade. Até o momento, mais de 3 milhões de pessoas foram infectadas e mais de 210 mil1 vidas foram ceifadas pela COVID-19 em todo mundo, tudo isto num período de 4 meses. No Brasil, os infectados passam de 66 mil e há mais de 4 mil1 mortes. Apesar dos números serem, por si só, assustadores, tanto de infectados como de mortes, esta doença torna-se distante quando não estamos frente a frente com este inimigo invisível.

Porém, há uma pequena parcela da sociedade que convive com a pandemia quase que diariamente. Parcela esta que é testemunha ocular destes números que são frios quando expressos nestas linhas, no entanto, ganham significado real quando se vê a morte bem de perto.

Refiro-me, naturalmente, aos profissionais de saúde, que hoje representam, simbolicamente, os soldados que estão no front, nas trincheiras, prontos para lutar contra o inimigo. Infelizmente, essa condição expõe a vida destes profissionais e de seus familiares também.

Por fim, para tentar sensibilizar nosso querido leitor da gravidade da situação e fazer uma singela homenagem aos profissionais de saúde, convidei a técnica de enfermagem Jaqueline Caimo a conceder essa entrevista, que gentilmente aceitou. Segue a transcrição abaixo:

Espiritismonaessencia – Jaqueline, inicialmente, gostaria de agradecer por aceitar o convite. Por gentileza, fale um pouco sobre você, sua profissão e religião?

Jaqueline – Agradeço a oportunidade de participar e contribuir um pouco neste blog. Sou Jaqueline Caimo, formada como Técnica de Enfermagem atuante na área de maternidade, sou cristã, religião católica, atuante na minha religião colaborando sempre que necessário, participando das atividades religiosas (missas, catequese e liturgia).

Espiritismonaessencia – Como a pandemia do novo coronavírus mudou a sua rotina no trabalho e em casa?

Jaqueline – O maior impacto da rotina é o isolamento social por ser da área da saúde devendo preservar minha família e potencializar os cuidados com a higiene antes de chegar em casa, após a saída do plantão hospitalar. Está sendo necessário me resguardar com relação às saídas em geral que não são caracterizadas como atividade essencial.

Espiritismonaessencia – Como é ter que conviver com uma doença que provoca muitas mortes diariamente e com o medo de se contaminar e contaminar sua família?

Jaqueline – Todos nós temos medo, principalmente aqueles que apresentam alguma comorbidade (doença preexistente) e que se enquadram na classe de risco, pois é a forma da doença ser mais agravante quando infectado. Trabalhamos de forma insegura na maioria das vezes pela alta velocidade da propagação da doença e por não ter EPI’s necessários e adequados para os procedimentos com esses pacientes, a preocupação e o medo também são maiores pela falta de leitos apropriados nos hospitais e pela falta de capacitação dos funcionários, e diversas situações.

Hoje o que nos move é a fé, e a esperança que dias melhores cheguem o mais rapidamente possível.

Espiritismonaessencia – Qual é a sua leitura dos outros profissionais de saúde que trabalham com você? Quais são os sentimentos que permeiam os corações dessas pessoas?

Jaqueline – Convivemos com um inimigo invisível que vem tirando a vida de muitos, os primeiros sentimentos são de medo e preocupação pela forma fácil de contaminação da doença, a preocupação é coletiva neste momento, principalmente com os nossos familiares e com nós mesmos que somos da área da saúde e que estamos na linha de frente com risco máximo de contaminação. A precaução do distanciamento dos nossos familiares é medido através do AMOR que temos para com eles nesta situação, tentando preservar as suas vidas.

Espiritismonaessencia – Você pode nos relatar algum caso que ocorreu durante a pandemia que tenha lhe marcado?

Jaqueline – São muitos casos, o mais impactante é o fato da família não conseguir se despedir do seu ente querido por conta da contaminação.

Espiritismonaessencia – Como a sua fé tem lhe ajudado a suportar esse momento? Você consegue imaginar passar por essa pandemia sem fé?

Jaqueline – Acreditar no Deus vivo que tudo isso chegue ao fim o mais breve possível, e que somente Deus nos proporciona esta força, fé e esperança. Minha fé é o meu sustento de agora.

Espiritismonaessencia – Essa pandemia já tem provocado mudanças em você? Do ponto de vista de visão de mundo, de conduta e comportamento? Como será a Jaqueline depois que essa pandemia passar?

Jaqueline – Sim, a valorização da vida, das pessoas queridas e que todos nós somos importantes para o outro, que a nossa profissão seja vista com mais respeito e reconhecimento, e que nós profissionais da área lutemos por essa valorização. Após essa pandemia não tem como ninguém ser mais o mesmo de antes, a valorização das relações pessoais, profissionais, religiosas com certeza terão laços mais fraternos e humanizados.

Espiritismonaessencia – Qual é a mensagem que você deixa para a sociedade sobre a pandemia?

Jaqueline – Gostaria de conscientizar a todos pelo amor próprio e ao próximo na luta contra esta guerra, devemos aderir o isolamento social e respeitar todas as recomendações de medidas preventivas para reduzir o nível da velocidade da contaminação, para que ao final de tudo o prejuízo seja o menor possível.

Espiritismonaessencia – Gostaria de agradecer, mais uma vez, Jaqueline, a sua disponibilidade em aceitar esse convite. Quero externar minha profunda admiração por você e por todos os profissionais de saúde que estão na linha de frente desta guerra, que estão lutando a favor da vida. Suas palavras finais.

Jaqueline – Cada um é responsável pelos seus atos e decisões, e neste momento possamos realizar a corrente do bem conscientizando a si próprio, buscando força, auxílio e proteção do nosso Deus que é esperança e a paz, e que o amor esteja no coração de todos para enfrentarmos com positividade esta provação. Estamos todos nesta guerra, ou melhor, somos os soldados da guerra e queremos sair dessa também com vida porque também somos o amor de alguém.

Referência bibliográfica

1 https://coronavirus.jhu.edu/#covid-19-basics

 

2 comentários sobre “Entrevista com Jaqueline Caimo – Mensagem de esperança diante da pandemia do novo coronavírus

  1. Prezados João e Jaqueline,
    Muito me encantou essa matéria a qual me trouxe reflexões sobre nossa realidade.
    Embora o inimigo seja invisível, podemos enxergar tanta dor causada por ele, eu realmente nem posso imaginar tamanho sacrifícios que os profissionais de saúde efetuam na sua luta diária para salvar vidas.
    Penso que cabe a cada um de nós contribuir para que esses números que sobrecarregam o sistema de saúde, público ou particular, sejam menores, com gestos concretos, praticando higiene pessoal, saídas essenciais, máscaras, distanciamento social, mas que façamos!!!
    Desejo que a fé seja renovada a cada dia e que o reencontro do amor que ficou em casa à sua espera seja uma constante na vida desses profissionais.
    Também deixo minha admiração, meu respeito e meu carinho a todos que hoje estão cuidando de nossos amores, para que estes retornem com vida para nosso seio familiar.
    Obrigada de coração.

Gostou desse artigo, comente!